Formação Sindical

Observatório Emprego

Portuguese English French German Italian Russian Spanish
Agenda Sindical

 

 

14 de Outubro (por tempo indeterminado):

Greve (pré-aviso) dos professores ao sobretrabalho que incidirá sobre todas as atividades que ultrapassem o limite de 35 horas semanais de trabalho.

Fonte: FENPROF

2 de Janeiro a 31 de Março:

Greve (parcial) dos motoristas do setor privado de transporte rodoviários de passageiros nos distritos do Norte, por aumentos salariais e o pagamento de retroativos desde fevereiro de 2019.

Fonte: STRUN

20 a 24 de Janeiro:

Greve e concentração dos motoristas da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML), por condições salariais «mais justas», a integração na carreira técnico-profissional entre outras reivindicações.

Fonte: CGTP-IN

24 Janeiro:

Greve dos enfermeiros dos Hospitais e Centros de Saúde no Algarve, por incumprimento de um conjunto de compromissos, assumidos por escrito que deviam ter sido concretizados até ao final de 2019.

Fonte: SEP

29 de Janeiro:

Greve e concentração de enfermeiros da ARS Norte, para denunciar o «incumprimento» de compromissos sobre a avaliação de desempenho e a progressão na carreira.

Fonte: SEP

31 de Janeiro:

Manifestação Nacional da Frente Comum, para contestar a proposta do Governo de aumento salarial para a Administração Pública.

Fonte: Frente Comum

31 de Janeiro:

Greve dos profissionais médicos convocada pelos Sindicatos membros da FNAM, solidarizando-se com as greves da Administração Pública e de outras classes profissionais, contra a degradação do Serviço Nacional de Saúde, a ausência de condições de trabalho dignas, por remunerações justas, entre outras reivindicações.

Fonte: FNAM

31 de Janeiro:

Greve Nacional de educadores/as, professores/as e investigadores/as, convocada pela FENPROF e os Sindicatos de Professores que a integram, não só para permitir uma grande participação na manifestação nacional da Frente Comum, como para reafirmar o seu protesto face aos problemas que o governo vem arrastando, reiterando as suas justas exigências.

Fonte: FENPROF

31 de Janeiro:

Greve dos trabalhadores das Empresas de distribuição (Supermercados, Hipermercados, Armazéns, Logísticas e lojas especializadas da grande distribuição), por aumento dos salários em 90 euros, valorização das carreiras e horários de trabalho regulados.

Fonte: CESP

5 de Fevereiro:

Concentração de organizações sindicais e de utentes do Sector dos Transportes frente à Assembleia da República, pelo aumento da oferta necessário para responder às justas aspirações de mobilidade das populações.

Fonte: CGTP-IN

6 de Fevereiro:

Plenário geral / paralisação dos trabalhadores da TST, nas instalações da empresa no Laranjeiro, devido ao adiamento da negociação por parte da administração da TST.

Fonte: FECTRANS

 

contra a imposição de alterações ilegais de horários de trabalho